Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

UT


 
O Joinville Esporte Clube sempre possuiu ao menos uma Torcida Organizada presente nas arquibancadas. Foram raros os momentos em que não houvesse algum grupo de torcedores distintos nas arquibancadas dos estádios onde o Tricolor Joinvilense jogasse. Torcidas Organizadas como Inferno na Torre e Nação Tricolor marcaram presença em uma época gloriosa do Tricolor, mas mesmo assim não conseguiram se manter vivas. Durante aproximadamente 7 anos a Torcida Raça Tricolor esteve presente nas arquibancadas do Ernestão, onde depois surgiram a Vício Tricolor seguida pela Inferno Tricolor.
A Torcida Raça Tricolor mesmo com um longo tempo de existência começou a passar por dificuldades administrativas e necessitava alguma mudança para não perder sua força. Portanto no ano de 2001 a Raça, a Vício e a Inferno começaram a manter um contato melhor entre suas diretorias já com um ideal de formar uma grande Torcida Organizada que nem o tempo pudesse destruir. Nesta época também era almejada uma diretoria forte e consistente que conseguisse construir e manter uma forte estrutura para a futura Torcida.
Muitos problemas e obstáculos surgiram para a criação desta nova Torcida. Nenhuma das Torcidas estava realmente decidida a abandonar seu nome e história. Além disso, as diretorias da Raça e Inferno desentendiam-se com facilidade e muitas vezes brigavam. Mas mesmo com tudo isso a idéia nunca foi abandonada.
Neste mesmo ano de 2001 as três torcidas começaram a experimentar unir forças em alguns jogos em casa e viagens. Até que a Final do Campeonato Catarinense uniu as três Torcidas em Criciúma onde fizeram uma festa nunca antes vista pela torcida Tricolor. Após esse dia a idéia começava a sair do papel e se tornava realidade. Ainda neste ano no dia 15 de Outubro de 2001 surgiu oficialmente o Grêmio Recreativo Esportivo União Tricolor. O Nome UNIÃO foi aceito pela maioria por representar a história do surgimento da Torcida. Mas não foram abandonados os antigos nomes de cada Torcida, ao contrário da maioria das Torcidas que se dividem por regiões, a UNIÃO foi dividida em Comandos que carregam o nome da antiga Torcida (Comando Raça, Vício e Inferno) cada comando com seu antigo mascote! Mas além disso surgiu naturalmente os comandos em cada região da cidade. Atualmente cada comando carrega seu antigo mascote nos uniformes!
Ao longo do tempo estamos conquistando nosso espaço e respeito diante de inúmeras situações. Percebemos hoje que somos mais maduros e estamos em constante evolução! Apesar da Torcida ser nova nossas idéias e experiências vêem de muito tempo atrás. Nosso ideal é apoiar incondicionalmente o Joinville Esporte Clube. Para isso promovemos sempre um clima de amizade e união entre nossos integrantes para que jamais deixemos de apoiá-lo por motivos internos!
Nossa história ainda é curta, mas faça chuva ou sol, perto ou longe, em um ou em mil estaremos sempre onde o Joinville Esporte Clube estiver!

JEEEC ♥

popup
                            A crase é a junção do artigo
                             A crase é a junção do artigo


Temos vários tipos de contração ou combinação na Língua Portuguesa. A contração se dá na junção de uma preposição com outra palavra.
Na combinação, as palavras não perdem nenhuma letra quando feita a união. Observe:
• Aonde (preposição a + advérbio onde)
• Ao (preposição a + artigo o)
Na contração, as palavras perdem alguma letra no momento da junção. Veja:
• da ( preposição de + artigo a)
• na (preposição em + artigo a)
Agora, há um caso de contração que gera muitas dúvidas quanto ao uso nas orações: a crase.
Crase é a junção da preposição “a” com o artigo definido “a(s)”, ou ainda da preposição “a” com as iniciais dos pronomes demonstrativos aquela(s), aquele(s), aquilo ou com o pronome relativo a qual (as quais). Graficamente, a fusão das vogais “a” é representada por um acento grave, assinalado no sentido contrário ao acento agudo: à.
Como saber se devo empregar a crase? Uma dica é substituir a crase por “ao”, caso essa preposição seja aceita sem prejuízo de sentido, então com certeza há crase.
Veja alguns exemplos: Fui à farmácia, substituindo o “à” por “ao” ficaria Fui ao supermercado. Logo, o uso da crase está correto.
Outro exemplo: Assisti à peça que está em cartaz, substituindo o “à” por “ao” ficaria Assisti ao jogo de vôlei da seleção brasileira.
É importante lembrar dos casos em que a crase é empregada, obrigatoriamente: nas expressões que indicam horas ou nas locuções à medida que, às vezes, à noite, dentre outras, e ainda na expressão “à moda”.  Veja:
Exemplos: Sairei às duas horas da tarde.
À medida que o tempo passa, fico mais feliz por você estar no Brasil.
Quero uma pizza à moda italiana.
Importante: A crase não ocorre: antes de palavras masculinas; antes de verbos, de pronomes pessoais, de nomes de cidade que não utilizam o artigo feminino, da palavra casa quando tem significado do próprio lar, da palavra terra quando tem sentido de solo e de expressões com palavras repetidas (dia a dia).

O FABULOSO VOLTOU !! (8)


Na tarde de 11 de março de 2011, Juvenal Juvêncio, presidente do São Paulo, anuncia o retorno de Luis Fabiano ao clube, após a contratação junto ao Sevilla, por 7,6 milhões de euros (17,5 milhões de reais), firmando um contrato com duração de quatro anos. No dia de sua apresentação havia mais de 45 mil pessoas no Estádio do Morumbi.  
                      
Após o retorno Luis Fabiano teve problemas para reestrear devido a lesões no joelho, mas após longo período fora dos gramados ele reestreou pelo São Paulo, no dia 2 de outubro contra o Flamengo no dia do aniversário de 51 anos do Morumbi, a partida terminou em 2x1 para os cariocas. No dia 19 de outubro, na sua quinta partida, em jogo válido pela Copa Sul-Americana, marcou seu primeiro gol no retorno ao São Paulo contra o Libertad, aos 31 minutos do segundo tempo.